organicos

Uma pergunta quase retórica, afinal as vantagens são muitas, já bem conhecidas e não faz mal nenhum relembrar. Mas antes entenda a diferença de alimentos orgânicos e agroecológicos.

A agroecologia é uma ciência, um movimento social, possui dimensões tecnológicas, políticas e econômicas. Além de não usar agrotóxicos, realiza o manejo sustentável, valoriza as sementes tradicionais e cultiva alimentos em harmonia com a natureza e a cultura local.

A produção orgânica, também não faz uso de agrotóxicos, porém não necessariamente aborda a diversidade como a agroecologia.

O que importa ao saber de tudo isso é que os alimentos produzidos por ambas as técnicas fazem muito bem à saúde, afinal não possuem aditivos químicos que são prejudiciais e os deixam sem sabor e vida, apesar da maravilhosa aparência que se apresentam.

Então vamos relembrar as vantagens do consumo de alimentos orgânicos (fonte: Ambiente Brasil):

1. Evita problemas de saúde causados pela ingestão de substâncias químicas tóxicas. Pesquisas e estudos tem demonstrado que os agrotóxicos são prejudiciais ao nosso organismo e os resíduos que permanecem nos alimentos podem provocar reações alérgicas, respiratórias, distúrbios hormonais, problemas neurológicos e até câncer.

2. Alimentos orgânicos são mais nutritivos. Solos ricos e balanceados com adubos naturais produzem alimentos com maior valor nutritivo.

3. Alimentos orgânicos são mais saborosos. Sabor e aroma são mais intensos – em sua produção não há agrotóxicos ou produtos químicos que possam alterá-los.

4. Protege futuras gerações de contaminação química. A intensa utilização de produtos químicos na produção de alimentos afeta o ar, o solo, a água, os animais e as pessoas. A agricultura orgânica exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos ou qualquer produto químico; e tem como base de seu trabalho a preservação dos recursos naturais.

5. Evita a erosão do solo. Através das técnicas orgânicas tais como rotação de culturas, plantio consorciado, compostagem, etc., o solo se mantém fértil e permanece produtivo ano após ano.

6. Protege a qualidade da água. Os agrotóxicos utilizados nas plantações atravessam o solo, alcançam os lençóis d’água e poluem rios e lagos.

7. Restaura a biodiversidade, protegendo a vida animal e vegetal. A agricultura orgânica respeita o equilíbrio da natureza, criando ecossistemas saudáveis. A vida silvestre, parte essencial do estabelecimento agrícola é preservada e áreas naturais são conservadas.

8. Ajuda os pequenos agricultores. Em sua maioria, a produção orgânica provém de pequenos núcleos familiares que tem na terra a sua única forma de sustento. Mantendo o solo fértil por muitos anos, o cultivo orgânico prende o homem à terra e revitaliza as comunidades rurais.

9. Economiza energia. O cultivo orgânico dispensa os agrotóxicos e adubos químicos, utilizando intensamente a cobertura morta, a incorporação de matéria orgânica ao solo e o trato manual dos canteiros. É o procedimento contrário da agricultura convencional que se apoia no petróleo como insumo de agrotóxicos e fertilizantes e é a base para a intensa mecanização que a caracteriza.

Faço questão de comprar em produtores locais, contribuindo para o desenvolvimento da “agricultura familiar” em nossa região e tenho muita confiança em uma produtora, a Sra. Ana Elisa que vende os produtos produzidos nas suas terras, em sua barraca na Avenida Rio Grande atrás do aeroporto de Ubatuba. Seus produtos são de ótima qualidade e possui uma variedade considerável. Os horários de atendimento são de segunda à sexta-feira, das 7h às 19h.

Matéria escrita para o Jornal A Cidade Ubatuba