arrozintegral_salada

Há um tempo atrás escrevi uma matéria sobre o crescente e inaceitável desperdício de comida que existe no mundo, desde a produção até as geladeiras dos consumidores finais. Para ilustrar formas de reduzir tal desperdício, dei a receita de um bolinho de arroz diferente e delicioso.

Agora vamos falar do arroz, de suas variedades e vantagens de consumo, afinal é um dos alimentos mais consumidos no mundo e um “super coringa” na cozinha, pois suas receitas vão do mais tradicional arroz branquinho, leite vegetal e até um belo nhoque.

O arroz é o terceiro cereal mais produzido no mundo e seu cultivo é tão antigo quanto às civilizações, por isso sua origem ainda é motivo de controvérsias. Constituído por sete espécies de cereais, o arroz no Brasil é quase que obrigatório em todos os pratos consumidos diariamente, principalmente com feijão, sua forma mais clássica de ser servido.

Por ser rico em carboidrato, o arroz já foi taxado de vilão e hoje passou a ser respeitado, principalmente em dietas sem glúten por não ter essa substância em sua composição. Pesquisas comprovaram que quem consome uma porção diária desse cereal, branco ou integral, tem no organismo menos gordura e mais sais minerais, como potássio, ferro e magnésio, que ajudam a equilibrar a pressão arterial e os níveis de colesterol. Ainda por cima, sua ingestão previne o diabetes, por causa da quantidade de amido, que controla a glicemia no sangue.

Alguns tipos de arroz e seus benefícios (fonte: conquistesuavida.com.br):

– Arroz branco: Contém carboidrato e sua principal função é fornecer energia. Apesar de ser o mais consumido no Brasil, é o menos nutritivo, pois as vitaminas e minerais ficam na casca, que é retirada durante o processo de polimento.

– Arroz integral: Fonte rica de fibras, minerais e óleos essenciais, ele estimula o intestino, aumenta a saciedade e reduz a absorção de gordura pelo corpo.

– Arroz negro: Rico em propriedades antioxidantes, auxilia na prevenção de danos celulares e de doenças crônicas, como diabetes, câncer e problemas cardiovasculares.

– Arroz vermelho: Contém monocolina, substância que ajuda na digestão, na redução do colesterol e na prevenção de doenças do coração.

– Arroz selvagem: Na verdade é um outro tipo de grão, mas muitos o considera como arroz. Rico em proteínas, fibras e aminoácidos, é também o que apresenta a menor quantidade de gordura. Bom aliado para dietas restritivas.

Qualquer grão deve ser deixado de molho de 6 a 8 horas antes de ser preparado, fazendo a troca da água pelo menos 4 vezes e com o arroz não é diferente, pois contém ácido fítico ou fitato, um inibidor enzimático, na sua camada mais externa. E como os grãos integrais não são previamente processados ou fermentados, este ácido não está neutralizado. O fitato dificulta o processo digestivo e geralmente se liga a algumas proteínas e minerais no trato intestinal, como cálcio, zinco, ferro e magnésio, e pode impedir a sua adequada absorção e assimilação pelo organismo. Por isso, o fitato é considerado um fator antinutricional de alguns alimentos.

Quando deixamos os grãos de molho, enzimas e outras substâncias neles presentes conseguem neutralizar o ácido fítico, fazendo com que as suas proteínas, minerais e vitaminas sejam mais facilmente absorvidos pelo organismo. Além de neutralizar o ácido fítico, deixar os grãos de molho também ajuda a “quebrar” parcialmente outras proteínas de difícil digestão.

A receita de hoje é uma opção saudável e fresquinha para enfrentar os dias quentes que estão por vir, Salada de arroz integral com rúculas e tomates cereja.

Ingredientes:

– 4 colheres de sopa de arroz integral cozido (temperatura ambiente)
– 7 folhas de rúcula
– 5 tomates cerejas
– 1 dente de alho
– ½ colher de sopa de manteiga
– Rodelas de cebolas a gosto
– Sal e açafrão da terra a gosto

Modo de preparo:

Em uma frigideira aqueça a manteiga, doure o alho picadinho, acrescente o arroz, o sal e o açafrão, mexa até misturar bem. Não precisa aquecer muito, o ideal é que fique em uma temperatura agradável, mas não quente. Acrescente as rodelas de cebolas, a rúcula picada grosseiramente e os tomates picados em 4 partes. Sirva imediatamente, ótima opção para acompanhar um filé de peixe grelhado.

Dicas importantes:

– Para fazer o arroz integral não é necessário “fritá-lo”. Doure o alho e a cebola, coloque a água e por último o arroz, isso ajuda a cozinhar mais rápido e deixá-lo mais macio.

– Na utilização da manteiga, dê preferência ao Ghee, que não possui lactose e seu ponto de fumaça mais elevado. Para maiores informações sobre o Ghee e onde adquiri-lo, acesse www.intensegourmet.com.br/loja/manteigas-pates/ghee-manteiga-sem-lactose/

Essa receita rende uma porção individual. Bom apetite !

Matéria escrita para o Jornal A Cidade Ubatuba